The Voice AU 3x17: Showdowns Part 3

domingo, junho 22, 2014


A emocionante e agonizante última rodada dos Showdowns.

Quando eu falei semana passada que os melhores cantores tinham sido deixados para a última rodada dos Showdowns eu não estava brincando. The Voice Austrália fez o melhor programa da sua última fase gravada, e até mesmo aqueles pelos quais não dava nada resolveram surpreender, aumentando mais ainda o nível de tensão nas decisões. Os candidatos não brincaram em serviço, e para garantir sua vaga nos Live Shows sem ter que enfrentar a peneira dos Sing-Offs, todos tiraram energia até de onde não existia, e vimos dos menores e mais simples frascos saírem as mais brilhantes e majestosas vozes. Que episódio incrível!

Enquanto nomes secundários fizeram apresentações brilhantes e roubaram o spotlight de cartas marcadas, grandes nomes, 4Chairs, acabaram sucumbindo ao nervosismo de mais essa peneira e mandando não tão bem em suas apresentações. Os treinadores, exceto Joel Madden, claro, acabaram sendo bem justos em suas decisões e levando para a próxima fase quem realmente tinha sido o melhor da noite, nos deixando nervosos com a possível eliminação de nomes como Elly Oh, Mat VerevisMegan Longhurst. Sem mais delongas então vamos as incríveis apresentações dos últimos Showdowns.


Quem Abriu a noite foi #TEAMWILL que tinha três dos seus melhores atos para se apresentar. O mais importante deles era sem dúvidas Mat Verevis, que foi bem incisivo e imponente na passagem de som. Ao que tudo indica o cantor tentou suavizar sua performance para achar o tão famigerado diferencial que Will.I.Am estava o cobrando, o que acabou deixando sua apresentação não tão boa quanto poderia ser. Mat foi muito bem, porém contra os candidatos que eles estava duelando, qualquer extra em sua apresentação contava pontos, e por não dar tudo de si, o rapaz acabou misericordiosamente caindo na berlinda.



Quem se apresentou na sequência foi Chita Henneberry, que desenvolveu todo um plot de que estava doente apenas porque sabia que não era páreo para a concorrência. Quem é Chita perto de ZK e Mat Verevis? Apesar de me parecer bem profissional e ter um ótimo tom de voz, a versão que ela fez de "Girl On Fire" foi super cortada e de longe uma das piores que já vi da música. As partes que era para ela fazer as voltinha e ir atrás das notas altas ela simplesmente ignorou. A cantora exibiu toda a sua técnica e versatilidade na música, mas não conseguiu engatar nenhum grande momento durante toda a sua apresentação.



E finalmente ZK subiu ao palco para entregar sua brilhante versão de "Say Something". Haters irão dizer que estou cego/surdo, mas arrisco dizer que a versão deles foi melhor que a de Alex & Sierra inclusive. Sério, que perfeito! Quando eles falam que a inspiração deles são suas famílias, e não tenho a menor dúvida, pois quando eles abrem a boca, parece que a voz de mais de mil espíritos estão sendo representadas naquele momento. É hipnótico, é agonizante, é empático, ZK te pega pelos ouvidos e leva-lhe em uma jornada apenas deles. Dores, amores, aflições do presente e do passado, tudo é jogado ao palco quando eles sobem no mesmo.



Na sequência Kylie Minogue também levou o seu grupo mais forte ao palco. Ao contrário de Will.I.Am. que tinha muitos nomes fortes, a treinadora poderia ter feito uma distribuição muito melhor. E foi com dor no coração que vimos injustiças necessárias sendo cometidas na noite de domingo, entre elas a não classificação de Megan Longgurst. A cantora fez uma performance impecável de "Wind Beneath My Wings", perfeita tecnicamente, emocionante e de tirar o fôlego. Sério, eu achava que ela não conseguira ser tão empática quanto Brittanie Shipway, mas a cantora deu contado recado e emocionou a todos que à assistiram.



Apesar de ter me simpatizado muito com a Blind Audition de Rosie Henshaw, confesso que tinha desanimado bastante depois da música cagada que Kylie deu para ela nas Battles. E qual não foi a minha surpresa ver que a cantora tinha vindo brigar de igual para igual com os dois maiores nomes de seu time, e que, muito provavelmente, se tivesse sido colocada em outro pareamento, poderia ter continuado na competição. Com sua versão exótica no baixo de "Shak Your Body Down to The Ground", a cantora colocou todo mundo para dançar, e provou que foi sim uma das melhores instrumentistas dessa terceira temporada do The Voice Austrália.



Fechando os trabalhos do #TEAMKYLIE Johnny Rollins subiu ao palco para mostrar que, apesar de sua concorrência ser excelente, tem uma coisa que é impossível de se ensinar, e chama-se emoção. A conexão que ele consegue fazer com as músicas, a empatia que cria com o espectador, é simplesmente de outro mundo, é como se ele tivesse vivido a vida inteira no palco. Disparado a melhor performance que eu já assisti dessa música, inclusive melhor que John Legend. Apesar de Johnny ter uma voz soul muito bem posicionada, ele faz uns falsetes de vez em quando que o tiram da zona comum desse estilo de cantor. O cara é um gênio, e agora que Kylie se livrou de todas as suas grandes vozes, arriscaria ele como o seu finalista.



Na sequência tivemos o trágico #TEAMJOEL subindo ao palco, surpreendentemente, com o seu grupo melhorzinho até agora, mas como de praxe o treinador deu um jeito de cagar a porra toda e eliminar mais uma vez o candidato de maior potencial da rodada. Eu até gostava de Holly Tapp, achava que ela era o nome feminino de maior potencial da equipe, mas depois dessa versão que ela fez de "Sunday Morning" era para ela ser eliminada no ato da competição. Foi tudo tão basicão, que me peguei dormindo até o final da música, isso porque é uma das minhas canções preferidas. Ela simplesmente não merecia uma segunda chance.



É simplesmente bizarro dar uma segunda chance para Holly Tapp e eliminar essa joia rara da música australiana chamada Papa D. A apresentação de Doug Williams foi sensacional, não tem nem o que comparar com a das adversárias, ele foi o melhor de todos os Showdowns do #TEAMJOEL, a sua voz soul combinada com seus agudos, os falsetes... Esse cara é muito talentoso! Se ao menos Joel Madden tivesse dado ao público a oportunidade de votar, ele teria feito um grande estrago. De todas as injustiças cometidas pelo treinador essa temporada, esta sem dúvidas foi a maior delas. Joel finalmente aderiu as drogas pesadas.



E Taila Gouge, por quem eu realmente não dava absolutamente nada resolveu sair da caixinha e se revelou a grande surpresa dos Showdowns. Na primeira rodada também tivemos alguns nomes que não esperávamos que fossem aprovados logo de cara, mas fazer isso contra dois dos principais nomes de sua equipe, requer culhões. E foi isso que a cantora mostrou em sua apresentação. Cantou, encantou, chamou a galera, mostrou swing, domínio de palco, controle de respiração, e ainda fez umas notas altas que foram absurdas. Pela primeira vez essa temporada concordei com Joel... Uma estrela nasceu naquele palco, foi realmente incrível!



#TEAMRICK sobe então ao palco para finalizar os Showdowns, e Sabrina Batshon resolve fazer o maior mindfuck da temporada. Aquela moça tímida, que só tinha cantado grandes clássicos românticos até agora, resolveu superar todos os seus medos e "Went Wild!" Queria dizer que tudo não passou de uma jogada de Rick Martin, mas não posso deixar de dar os louros à cantora também, afinal, pelo menos a escolha musical partiu dela, o que permitiu que seu treinador fizesse todo esse trabalho em cima dela. E o que parecia há algum tempo inimaginável, aconteceu, Sabrina derrotou o grande nome da temporada, e se consagrou como a grande vitoriosa de sua equipe do terceiro round dos Showdowns! Que performance! Impressionado até agora!



Josh McDonald coitado, parecia um cordeiro que foi mandado para o abate enfrentando as duas maiores vozes de sua equipe. O rapaz não tinha muito para onde correr depois do pareamento, então super entendi a decisão dele de querer dar uma mexida no seu estilo musical, até porque sua battle foi um grande fiasco. Acontece que o tiro saiu pela culatra, o tom da música estava muito baixo para a voz dele, claramente ele não tinha nenhum domínio de palco e não conseguiu nenhuma empatia com o público. Se as suas chances de se classificar já eram baixas, depois dessa apresentação o jeito era arrumar as malas e ir para casa.



Então foi a vez de Elly Oh subir ao palco para encerrar os trabalhos. Não sei direito dizer o que aconteceu, se foi uma jogada do programa para humanizar mais a imagem da cantora, só sei que tudo começou a dar errado para ela desde os ensaios. Finalmente a cantora ganhou um plot dramático, dar aulas na garagem já não era mais o bastante, agora ela teve uma mãe opressora... O surpreendente é que na hora da apresentação ela realmente deu umas cagadas, e ficaremos sem saber se foi proposital. O incio foi bem morno, aquela nota alta que ela fez no meio da música também achei que saiu um pouco do tom, mas o pior mesmo foi a pronúncia, foi muito difícil de engolir o "Here lI'll stand, and Here lI'll stay", foi muito "flango" para mim. Não sei se foi proposital ou não, mas no fim da equação ela realmente não merecia mais do que Sabrina essa vaga, mas a aflição que eu fiquei aqui com a decisão de Rick, foi bem parecida com a de Will.I.Am. no programa.



No mais é isso meus caros, essa foi última rodada dos Showdowns, e foi sim a mais emocionante de todas. Todos os treinadores guardaram grandes grupos para o seu grand finale, e fomos presenteados com um grande episódio, inclusive foi o que eu fiquei mais aflito com todas as decisões. Amanhã estarei aqui de volta para comentar a repescagem, e segunda finalmente começam os Live Shows, serão apenas quatro programas, achei muito pouco tempo para dedicar ao voto do público, ano passado as coisas estavam muito mais interativas, mas fazer o que né... Até mais!




Talvez Você Curta

7 comentários

  1. Ae grande Edna, tem que ficar, ja q a erika ''foi embora'' ha ha ha
    Sol tbm sou designer, quando souber de vaga aqui no Rio te falo.
    Camis, minha fumada predileta, nao ta afim de entrar na onda da Erika e pedir cartinha de amor tbm????
    Sobre o Podcast, tudo perfeito, quem escolhe a trilha sonora? Manda bem!!!!
    Vcs n estao devendo um S.A. aleatorio sobre faculdade?? Esse promete!!

    E que venham as novas series, que mesmo se forem todas uma merda vamos nos divertir ouvindo a Camis surtar e a Erika novamente desistindo e criando uma terceira personalidade ha ha ha

    ResponderExcluir
  2. VALERIANA BARROSdomingo, 22 junho, 2014

    Até que essa Edna é bem legal.kkkkkkkkkk
    Sol, vc é uma fofa.Adoro ouvir vcs.
    Camis e Leo sempre arrasando.
    Gostei muito da Camis falando de michê e a Edna falando de duas cabeças.rs

    ResponderExcluir
  3. Gente, çocor que desse podcast só assisti Faking It, Catfish e GOT!! Mas tudo bem, porque o que importa é vocês <3


    Acabei de começar a ouvir e adorei Edna, pra mim ela já pode substituir a Érika :D - #brinks, Érika forever in my heart <3 #RIP #VaiPraVampiriDiarisERessuscitaErika #OuVaiPraGOTEVoltaComoDamaCoraçãoDePedra

    ResponderExcluir
  4. Hey Oliveto, eu falei pro Leo que deu atender designer.
    Mas não, sou engenheira civil.
    Porém, agradeço muito a atenção.
    bjão.

    ResponderExcluir
  5. Hey Valeriana, vlw. Tbm sinto falta de vc lá em Continuum, mas acho que vc não vê né? Pq não vi seus comentários.
    Bjão.

    ResponderExcluir
  6. Oi, pessoal!

    Por favor.... por favor... por favorzinho.... POR FAVOR,
    façam um quadro especial “Sol Conta”, gente, ela deixa todas as séries mais
    divertidas! Depois do caminhão da Granero, agora em Continuum ela usou o poder
    de acelerar o tempo!!! Sol, verdadeiramente, adoro você contando os
    acontecimentos serísticos!

    Como eu havia dito há um tempo, não estava curtindo Game of
    Thrones, maaaaaas, tenho que dar meu braço a torcer, gostei muito da final (o
    ep. 9 eu o achei tão interessante que o terminei em 11 minutos), mas a final
    foi boa e me deixou curioso para saber os desenrolares!

    Já cortei todas as chances das novatas narradas....
    pareceu-me ser tudo muito ruim!

    Agora Louie... abram o coração, amigos, é muito bom! Essa
    quarta temporada foi ESPETACULAR!!!!! Eu não sei se a classificaria como
    comédia... é simplesmente um programa bom, que te faz feliz, e isso é mais do
    que o suficiente! E o que foi a pergunta de “por que suas filhas são brancas?”
    ... confesso que sempre fiz essa pergunta!

    Camis, fico feliz que tenha gostado dos DVDs (e pode usurpar
    o das Pirulitas... =D )

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  7. Não assisto Continuum, quem sabe um dia.rs
    Bjos

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe