The Voice AU Análise de Times: Showdowns

sábado, junho 07, 2014


Passando a peneira no The Voice Austrália.

A terceira temporada pode não estar nem de longe tão boa quanto a segunda, mas não se esqueçam que ainda estamos falando do The Voice Austrália, e que pelas bandas de lá talento é o que não falta. Sem tantos nomes quanto o ano passado, alguns candidatos realmente fortes se destacaram, na temporada atual, e já temos como ter um panorama do que será o programa daqui pra frente. Farei essa análise aqui, mais para nos situar em que pé estamos na competição, e findado duas etapas quais são os candidatos que realmente prometem ser os grandes destaques durante as semanas de apresentações ao vivo.

Ao contrário do ano passado, parece que Rick Martin veio decidido a ganhar, focou em algum poucos candidatos, e carrega para os Showdowns o que eu considero ser os candidatos mais consolidados da competição. Depois de três temporadas no The Voice britânico Will.I.Am. é um jogador para ficar de olho, com o segundo time mais forte no jogo, pode a qualquer hora dar o bote e levar o caneco pra casa. Depois de ter o melhor time, em sua temporada de estréia no The Voice UK e ter feito toda aquela cagada, esperamos que aqui o efeito seja inverso, e que apesar de não ter um grande time, Kylie Minogue consiga reverter a situação. E Joel Madden depois de todas as cagadas que fez durante as Battles, só resta torcer para que o público se importe minimamente com algum de seus cantores e ele ainda tenha alguma chance. 


Quem acompanha a versão britânica do The Voice, sabe que Will.I.Am. nunca entra na competição de brincadeira, ele vem para jogar, e jogar pesado. O treinador sempre utiliza de todas as suas armas como produtor e todo o seu hype para valorizar os seus candidatos, e fazer com que eles caiam nas graças da audiência. Depois de duas temporadas sendo vice, Will.I.Am. finalmente consolidou uma fórmula de sucesso e ganhou o programa essa temporada, e foi embalado por esse gás que ele veio para o The Voice Austrália.

Depois de muito tentar hitar artistas muito hipsters, Will.I.Am. resolveu deixá-los em segundo plano e apostar no que é mainstream. E depois de ter ganho no Reino Unido com Jermaine Paul, montou também um time de grandes vozes aqui na Austrália apelando para esse lado do espectador. Apesar dos maiores investimentos do treinador estarem sendo os fortíssimos Anja Nissen e Mat Verevis, a grande surpresa do #TEAMWILL pode acabar mesmo sendo ZK. Não sei, mais mesmo com todo aquele jeitão deles diferente, a dupla não perde em momento algum a conexão com o público, e está sempre apelando para emoção de quem os assiste. A grande briga porém, ficará por conta do quarto lugar nos Live Shows, que será disputado a tapa. Alguns nomes farão questão de serem vistos ao vivo pela Austrália, e os grandes candidatos a este último lugar para mim são Louise Van Veenedaal, Gabriel & Cecilia e Julian Simonsz, sendo que os dois últimos já possuem similares entre os três citados primeiro.


#TEAMJOEL coitado, está fadado ao fracasso. No ano em que se encontrava melhorzinho, veio o seu treinador e passou a foice em tudo o que lhe era potencialmente campeão. Fiquei muito frustrado nessas Battles, perdemos grandes nomes para Joel Madden, que preferiu levar adiante cantores mais simples, que ele potencialmente poderia treinar, do que candidatos que realmente estivessem predestinados a ganhar. Grandes artistas como Harry Healy e Lij Gilmour deram adeus a competição, deixando no time apenas bons cantores, que não possuem nem metade de suas personalidades. Exceto pelo grande Steal que Joel fez.

Depois ter abaixado para zero as chances de levar o seu time a vitória, Joel Madden viu seu fôlego ser restaurado ao fazer o grande Steal da temporada. Jess Berney pode não ser tão polida quanto a comercial Elly Oh, mas tem um grande apelo emocional, e se guiada corretamente pelo seu treinador, pode ser a grande finalista de seu time, e potencialmente a ganhadora da temporada. Quem completará o painel do #TEAMJOEL, nas finais, deverá ser o 4Chairs Isaac McGovern, por sua impecável técnica e dedicação; Doug Williams; e Holly Tapp com certeza será arrastada pelo treinador, por ser a sua favorita.

 

#TEAMKYLIE nem tão bom nem tão ruim, definitivamente corre pelas beiradas. A treinadora meio que já trassou bem claro quais são os seus planos para os lives, facilitando ainda mais a identificação do público com os seus candidatos. Ao compor metade de seu elenco para os Showdowns de candidatos fracos e inexpressivos a treinadora fará com o que os olhos do público, desde já, estejam voltados para quem realmente é relevante em seu time, e já comece a estabelecer os seus grandes favoritos.

O grande queridinho da treinadora é o baterista Johnny Rollins, e não me restam dúvidas de que o veremos semana que vem na competição. Sem tanta expressão quanto Brittanie ShipwayMegan Longhurst foi a escolhida por Kylie Minogue para preencher a cota diva em seu time, mas apesar de ser uma ótima cantora não sei se ela tem carisma suficiente para carregá-la até a final. O obstáculo da cantora será Candice Skjonnemand, sem dúvidas, pois possui o perfil parecido com o seu, e não sei se  a treinadora está disposta a levar as duas adiante. Completando o time nos lives veremos a atração adolescente do time, Kat Jade, e torço muito para que o Steal, Lionel Cole, figure nesse top4.


E por último, claro que o #TEAMRICK é o mais forte da temporada, porém, ao contrário do ano passado, o treinador desenhou uma linha bem clara entre o que é bom e o que é maravilhoso em seu time. Rick Martin tinha um ótimo time o ano passado, porém não sabia jogar. Acumulou ótimos nomes e acabou dividindo o favoritismo entre eles. Esse ano parece que ele construiu uma escala bem nítida, acho que dá para saber claramente, quem ficará pelos Showdowns, quem será apenas finalista e os seus grandes favoritos.

O grande nome do #TEAMRICK sem a menor dúvida é Elly Oh, parece que a cantora é realmente o Harrison Craig da temporada, e promete cantar e encantar o público, sendo diva e versátil durante toda a competição. Quem está logo na sua cola, porém não a altura de sua popularidade é Matthew Garwood, no mínimo semifinalista o rapaz será, mas claro que há sempre espaço para uma virada de mesa. O terceiro lugar no time do treinador latino será preenchido pelo seu sósia C Major, que veio para preencher a cota Caterina Torres/Artista Latino Pop da temporada. E quem, em minha opinião, irá completar o time de finalistas mais cobiçado será Sabrina Batshon, apenas por ser tão linda e divina.

No mais é isso! Vem torcer pelos seus favoritos que os Showdowns já começarão amanhã!

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Sua cobertura do The Voice AU está fantástica! Tenho lido todos os posts e acessado os vídeos, por sinal excelentes.
    Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  2. segundo ano e estamos aqui juntos hein Luna! rsrs

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe