Game Of Thrones 5x05/06: Kill the Boy / Unbowed, Unbent, Unbroken

sábado, junho 06, 2015


Morre o velho Barristan... :(


Game Of Thrones é especialista em quebra de expectativas desde sempre. No quinto episódio dessa temporada percebemos isso em dois momentos, ou melhor, duas vezes em um momento só: a morte do grande cavaleiro Sor Barristan Selmy e com o piau que os imaculados levaram. Daenerys, mais perdida do que surda em bingo, não sabe se segue o que seu coração anarquista/esquerdista/comunista - ou sabe-se lá o quê - ou se trava diálogo com o pessoal de Mereen. A jovem loira terminará a temporada da mesma maneira que começou. A propósito, não aguento mais repetir, Daenerys é praticamente idêntica ao que era na segunda temporada. A única virada da personagem foi a morte de Drogo e o nascimento dos dragões na primeira temporada. Desde aquele momento apenas os cenários e as companhias da bela mudaram. O resto continua exatamente igual.



Jon precisa deixar de ser o menino - "Kill the boy" - e para isso resolveu que a Patrulha deveria se unir aos selvagens para formar uma só força de luta que tenha capacidade de encarar a raiva e os perigos que virão com o inverno. Óbvio que os tiozinhos de preto não gostaram muito da ideia. Inteligente o menino Jão. Agora ninguém mais pode falar que ele não sabe nada! Nem parece um Stark!

Perto dali - perto??? - Sansa brincava de casinha com os Boltons, onde encontrou Fedor. Sansa não parece tão preocupada em estar próxima de casar-se com o Diabo em pessoa, provavelmente porque tem planos em mente. É óbvio que a Stark pretende recuperar Winterfell, de alguma forma. Do contrário não estaria ali, aleatoriamente como uma vítima, coisa que sempre foi. Brienne, estrategicamente, vai se manter atenta para agir quanto necessário.

Tyrion e su amigo de viagem, o Friendzone, avistaram o dragão perdido de Daenerys enquanto passavam pela Valíria. É curioso a série mostrar uma passagem por Valíria sendo que o local em si nunca foi falado. Apenas ouvimos falar do aço valiriano, metal raro em Westeros e que compõe as espadas de Jon Snow, presente do velho Mormont, ex-comandante da Patrulha da Noite e a espada chamada de Cumpridora de Promessas, de Brienne, fruto da espada Gelo, de Ned Stark. Havia outra espada fruto da Gelo, que foi dada de presente ao Joffrey, mas que o a série não mostrou que destino teve. Deve estar com Tommen.

O sexto episódio da quinta temporada percebemos uma Sansa mais dura, que sofre como fazia antes, porém mais dura na queda, com um olhar mais firme. Não podemos deixar de nesse momento elogiar o trabalho Alfie Evan Allen, ator que interpreta Theon. Certamente, o ocorrido com Sansa a deixará mais forte deste momento em diante. E é provável que Theon - ou Fedor - também se torne mais forte agora, depois de ter presenciado tal ato.

Em Dorne Jaime e Bron participaram de algum filme B, em que se entra em qualquer lugar sem obstáculos - quero acreditar que havia alguma cena que acabou sendo cortada no corte final do episódio - e se encontra todos as pessoas juntas no mesmo momento. Nem é necessário dizer que essa foi a pior cena de batalha que já vimos na série. Coreografia de péssima qualidade, Jaime e Bron lutando como se fossem dois menininhos, apanhando de algumas meninas e encontrando os guardas dos Martell em uma misancene quase amadora. E que fantasias eram aquelas? Parecia aqueles filmes de ninja que passavam na televisão de tarde. Acho que esse foi o momento em que o diretor da série saiu para toar um café e deixou o estagiário responsável pela cena. Agora Bron e Jaime são prisioneiros dos Martell, esse pessoal ainda desconhecido para o espectador da série. O espectador, por sua vez, tem uma expetativa grande sobre os Martell baseado em suas percepções sobre Oberyn, o carismático personagem que apareceu na temporada passada. Dorne ainda não nos serve pra nada. Espero que a temporada não termine nessa situação.

Cersei encontra Mindinho, que se mostra ainda mais enigmático que o normal. Para o espectador Mindinho é aquele personagem enigmático - assim como Varys - em que se fica imaginando o que ele está tramando e a série o tempo todo nos engana e nos conduz a pensar coisas erradas sobre ele. O que ele pretende ser? Senhor do Vale? Senhor do Norte? Rei dos Sete Reinos? Por ali também Loras ficou preso por ser gay. A parte interessante foi o rapaz negando até a morte o fato de ser gay. Cersei deveria estar se mordendo de medo, já que incesto também é uma atitude um tanto quanto conservadora para os pardais.

Arya, em seu treinamento em Bravos, torna-se uma personagem que serve como espectador, pois ela desconhece completamente o tipo de jornada que terá ou o tipo de treinamento em que passa. Ela sabe exatamente a mesma coisa que nós, nada. Gostei da participação da pequena Stark no episódio mas já estou triste poque acho que esse arco não terá nenhum desfecho ou cliffhanger até o fim da temporada e que certamente terá um maior no próximo ano.

Tyrion e Jorah passaram por emoções, encontrando obstáculos em sua jornada. A jornada de Tyrion, especialmente, é muito peculiar pois é sequestrado dentro de um sequestro. A diáogo desse momento do episódio, por sinal, foi ótimo. Dinklage dá aulas de boa atuação em cada aparição. Só fico pensando como pode haver em um mesmo episódio aquela cena ridícula de Jim e Bronn lutando com as fulhas de Oberyn e essa cena excelente de Tyrion e Jorah sendo capturados. Parece até que foram duas produções completamente independentes.

Enfim, a reta final de GoT está com vários núcleos em momentos cruciais, ou seja, vem coisa boa por aí! Provável que o nono episódio da série é que seja o ápice da temporada em um ou mais tramas.










Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe